Páginas

Translate

sábado, 2 de março de 2013

Tell el Amarna - esboço da sua importância



Relevante a vários níveis.
Historicamente – Foi o local exato do desenvolvimento de um período revolucionário delineado e conduzido por Akhenaton que, ousadamente, desafiou a supremacia de Amon, divindade principal do Egipto de então, sobrepondo-lhe, como deus único, Aton, o disco solar.
Artisticamente – Imediatamente vem-nos à memória o famoso busto de Nefertiti…
 Mas Amarna legou-nos muito mais. A título de exemplo vejam-se os templos dedicados a Aton, também eles revolucionando as concepções da arquitetura egipcía: templos a céu aberto para que o deus solar possa penetrar em todos os recantos e conceder a sua energia vivificante aos seus seguidores. 
 Também as casas tinham a sua originalidade “As casas dos trabalhadores de Tell el-Amarna não tinham jardins, mas possuíam as mesmas divisões básicas das casas grandes. A sala exterior abria para a rua. Era nela que entravam os visitantes e aí trabalhava o dono da casa, se fosse artesão. A sala central era a zona de convívio principal, para onde se levavam e recebiam os amigos. Na parte de trás havia um pequeno quarto de dormir, uma cozinha e uma escada para o telhado. As mulheres e as crianças passavam a maior parte do tempo no telhado, onde era mais fresco. Um pequeno quiosque ou uma cobertura protegiam-nas do sol. Cozinhava-se fora de casa para reduzir o perigo de incêndio.” (MILLARD, 1975, p. 19)
  No âmbito escultórico assistimos a representações, que a muitos incomodam, de figuras exageradas em que o Faraó, por exemplo, nos surge como figura andrógina, peito feminino, ancas e estomago salientes, acreditemos que, com a intenção de personificar a união divinizada do masculino e feminino, símbolos inerentes ao deus criador.
  Os baixos relevos mostram-nos cenas da intimidade familiar em que, mais uma vez o Faraó, demonstra o seu afeto pela esposa real e pelas suas filhas.
Arqueologicamente – um local que ao ser abandonado, “esquecido” e soterrado pelas areias guarda a vivência quotidiana mais completa que podíamos esperar.

Akhenaton http://www.clmais.com.br/variedades/16372/
Baixo-relevo  http://www.dondeandoporai.com.br/museu-do-cairo-para-ver-a-historia-da-historia-in-loco/
Nefertiti http://antigoegito.org/busto-de-nefertiti-completa-100-anos-de-sua-descoberta/
MILLARD, Anne. The Egyptians (Peoples of the past). London: MacDonald & Company, 1975.
Templo de Aton  Reconstituição 3D de Paul Docherty.
Enviar um comentário